quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Inaugurações pioram a saúde em Parauapebas




UPA,
MELHORIA OU ENGANAÇÃO?


Milhões foram desperdiçados numa obra para inglês ver. Precisamos do melhorar o sistema de atendimento e saúde reais, que se faz com pessoas, equipamentos e prédios. Edificação em si, é apenas edificação.










Vi em recente um belo comercial sobre a UPA de Parauapebas. É a maior do Brasil, construída com recursos próprios. É moderna, e um velhinho emocionado fala que o prefeito escolheu o melhor. É qualidade para todos os lados.

Algo salta aos olhos. Em nenhum dos comerciais ou propaganda do megaevento vi pessoas. Ninguém. Não vi referencias a médicos bons e especialistas nem vi referências a enfermeiros de alto nível ou mesmo algo referente a estoque de materiais e medicamentos, a sistema de consultas ou qualquer pessoa ou especialista falar e elencar as melhorias reais e imediatas que tal inauguração trará a caótica e terminal saúde de Parauapebas.

Mesmo porque, nestes três anos de luta o que vimos foi a destruição sistemática do que restou da saúde, desde os tempos de Bel Mesquita. Tudo foi vilipendiado ou destruído e hoje temos um sistema que não cabe em si, falido, sistematicamente desmoralizado e sem planejamento. O novo secretario rebola e incomoda mas esta fazendo seu papel.

O prefeito deveria ter noção do que fala. Nada do que faz ou fará convence que esta no rumo certo. Seu governo foi até agora destrutivo, achincalhador, covarde. 


É uma UPA de 15 milhões de reais... quando deveria ser de 4 milhões. Foi construída com recursos próprios por pura opção do grupo do poder. Jamais o MS iria desperdiçar recursos escassos numa edificação que não resistira ao tempo ou mesmo não terá suporte humano e logístico para atendimento de nível mínimo. É muito sério.

As obras de Valmir em preços estratosféricos. A corrupção grassa e onera a vida de Parauapebas pois estas empresas que estão levando vantagem mandam o dinheiro embora, nada ficando aqui. As verbas para investimento viram comodamente dinheiro de custeio de uma máquina obsoleta, atrasada, sem fiscalização ou freio, haja visto a forte blindagem com que conta o prefeito de Parauapebas.

E temos uma sociedade zumbi, que nada importa. Nem mesmo o tremendo momento reestruturante de 2012 que lança sérias dúvidas quanto ao futuro da cidade, incomoda os que aparentemente estão perdendo.

Não temos nada a comemorar na saúde. Ainda não, enquanto este prefeito ter a liberdade de ir a televisão contar mentiras e ninguém reagir, não teremos este momento de verdade. Lamentável.